Demi Lovato cede sua plataforma no Instagram na semana da visibilidade trans
Demi Lovato cede sua plataforma no Instagram na semana da visibilidade trans

Nos últimos meses, Demi Lovato vem intensificando o compartilhamento de informações em suas redes sociais para que sua plataforma seja não só um meio de entretenimento, mas também, uma fonte de conhecimento para seu público.

Na semana da visibilidade trans, a cantora liberou sua conta no Instagram para Patrício, um jovem lutador – em todos os sentidos da palavra – boxeador profissional e que também tem orgulho de lutar por um mundo onde ser você mesmo não seja um ato de coragem, como ele mesmo diz.

Patrício foi convidado para compartilhar sua jornada através da campanha #TransTakeOverdia. O dia da visibilidade trans é uma data em que dedicamos para memorizar aqueles na comunidade trans que perderam suas vidas, como também celebrar a vida de todos que ainda permanecem aqui.

A Athlete Ally é uma rede que trabalha para a inclusão de pessoas LGBTQ+ no esporte, especialmente jovens transgêneros e não binários. Eles lutam para acabar com a seletividade e para que os esportes sejam para todos.

Por conta da pandemia do Covid-19, o número de depressão e ansiedade aumentou em jovens da comunidade LGBTQ+, os esportes foram comprovados como redutores desses sentimentos suicidas, mais um dos motivos pelo qual Patrício decidiu compartilhar sua história como atleta.

Confira as traduções de cada publicação de Patrício no Instagram de Demi e um pouco de sua história.

“Oi! Meu nome é Patrício @team_patricio_manuel (ou você pode me chamar pelo meu apelido, Cacahuate/Peanut). Eu estou comandando o Instagram da Demi hoje como parte da campanha #TransTakeOver para a #TransAwaressWeek (semana da visibilidade trans) e #tdor. Eu sou um lutador em todos os sentidos da palavra. Eu não sou apenas um boxeador profissional, mas eu sou comprometido em lutar por um mundo onde ser você mesmo não seja um ato de coragem. Eu tive que fazer história para ser o verdadeiro eu – de uma boxeadora feminina campeã, para o primeiro boxeador profissional transgênero a competir e ganhar, para o primeiro atleta transgênero a se tornar o rosto do Everlast, eu nunca permiti que os outros me definissem. Hoje é o dia da visibilidade trans, um dia em que dedicamos não apenas para memoriar aqueles na comunidade trans quem perderam suas vidas para a violência anti-trans esse ano, mas também para celebrar a resiliência de todos nós que ainda estamos aqui. Eu fui convidado para compartilhar mais sobre mim, minha jornada para ser o primeiro e as causas que estão no meu coração.”

“TransTakeOver #TransAwaressWeek #tdor [Alerta de conteúdo: abuso sexual infantil] Eu não sou um sobrevivente de abuso sexual infantil, mas muitos quem eu amo são. Pelo fato de 20% dos americanos serem, você ou alguém que você conhece já viveu essa experiência. E, se você é uma criança transgênera, ou gênero não confimado, de acordo com a Academia Americana de Pediatria, você corre mais riscos disso. Meu parceiro fundou a @mirror.memoirs para que transgêneros, não binários, intersex e sobreviventes queers raciais tivessem um lugar para compartilhar suas histórias, encontrar a cura e batalharem juntos para acabarem com a cultura do estupro. Eles dão boas vindas ao envolvimento de QUALQUER pessoa que queira viver em um mundo sem abuso sexual infantil. Se você está em crise e precisa de ajuda imediata, você pode contatar a linha @trevorproject grátis 24 horas por dia pelo telefone (866-488-7386) ou por mensagem para 678-678 para acesso ao um conselho confidencial. O Projeto Trevor é especialmente treinado para pessoas LGBTQ jovens até 25 anos.”

“TransTakeOver #TransAwaressWeek #tdor O box é mais que um esporte. Eu não sei quem eu seria se eu não tivesse entrado em uma academia como um adolescente. Eu consegui ver o mundo, ter um impacto positivo na minha comunidade, ganhei amigos e família… mas existem muitos que não querem que atletas trans façam parte do mundo atlético. Apesar de toda desinformação, os atletas trans querem a mesma coisa que todos os outros: uma chance de participar e crescer com o esporte que eles amam. Nós não podemos lutar nessa luta sozinhos e felizmente nós não temos. A @AthleteAlly trabalha para desmembrar a estrutura de opressão que isola, exclui e coloca em perigo as pessoas LGBTQ+ no esporte, especialmente jovens transgêneros e não binários. No último ano, 19 estados dos Estados Unidos introduziram legislações horríveis invalidando jovens trans e suas habilidades para praticarem esportes simplesmentes por serem quem eles são. Por causa do COVID-19, jovens LGBTQ+ estão em risco de depressão, ansiedade e pensamentos suicidas. Esportes foram provados que reduzem a depressão para jovens LGBTQ+. Todos os atletas e especialmente os jovens trans, merecem acesso aos esportes. Se junte ao Athlete Ally e nos ajude a lutar para fazer os esportes serem para todos.”